Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




COMO O ALEGADO "SURTO DE URTICÁRIA" FOI NOTICIADO NOS VÁRIOS ÓRGÃOS DE INFORMAÇÃO

por cunha ribeiro, Sexta-feira, 24.10.14
1. PELO  « DESTAK» - Dia 21/10/2014:
 
Actualidade

Surto de urticária leva doze alunos de escola de Vila do Conde ao hospital

21 | 10 | 2014   16.36H

Doze alunos da Escola Secundária José Régio, em Vila do Conde, foram hoje encaminhados para o hospital, depois de terem revelado sintomas de urticária durante as aulas.

Os jovens, com idades entre os 12 e 17 anos, deram entrada na unidade hospitalar da Póvoa de Varzim e também no Hospital de S. João, no Porto, depois de terem sido, inicialmente, assistidos no local por um médico e pelos bombeiros de Vila do Conde

"Os jovens estavam com alergia, pele muito vermelha e com comichão", contou Joaquim Moreira, comandante da corporação vila-condense, que fez deslocar para o local 18 homens apoiados por oito viaturas

Destak/Lusa | destak@destak.pt
 
 
 
2. PELA AGÊNCIA LUSA, DIA 21/10/2014
 

Surto de urticária leva doze alunos de escola de Vila do Conde ao hospital

21.10.2014 - 16:54

Doze alunos da Escola Secundária José Régio, em Vila do Conde, foram, esta terça-feira, encaminhados para o hospital, depois de terem revelado sintomas de urticária durante as aulas.

 

Os jovens, com idades entre os 12 e 17 anos, deram entrada na unidade hospitalar da Póvoa de Varzim e também no Hospital de S. João, no Porto, depois de terem sido, inicialmente, assistidos no local por um médico e pelos bombeiros de Vila do Conde

"Os jovens estavam com alergia, pele muito vermelha e com comichão", contou Joaquim Moreira, comandante da corporação vila-condense, que fez deslocar para o local 18 homens apoiados por oito viaturas

Joaquim Moreira contou que o surto começou numa sala mas afetou alunos de turmas diferentes, sendo que a opção de encaminhar seis alunos para o Hospital de S. João, no Porto, foi tomada, "não pela gravidade da situação, mas para não congestionar o hospital da Póvoa de Varzim".

Sobre a causa do incidente, Joaquim Moreira revelou que no local a corporação averiguou "se havia alguma algo que motivasse o surto de urticária, mas que nada foi detetado".

O comandante contou que a suspeita inicial recaiu sobre um detergente, "mas depois de analisar e visto que já era usado há muito tempo naquelas instalações, percebeu-se que não seria por isso".

A Agência Lusa tentou contatar com os responsáveis da escola mas até ao momento não foi possível, uma vez que se encontram em reunião com elementos da Delegação de Saúde de Vila do Conde.

 

 

3. PELO JN de 22-10-2014:

 

Sobe para 42 o número de alunos com urticária em Vila do Conde

22.10.2014 - 23:35

Mais 19 alunos foram encaminhados, esta quarta-feira, para o hospital devido a um surto de urticária na Escola Secundária José Régio, em Vila do Conde, elevando para 42 o número de jovens que nos últimos dois dias apresentaram sintomas de reação alérgica

O surto, que começou a manifestar-se na terça-feira, terá origem num fungo presente nas árvores, dentro e fora do recinto escolar, que já começaram a ser tratadas.

Julieta Lopes, subdiretora do estabelecimento, afirmou à Agência Lusa que não há "motivos para alarmismos" e que "já estão a ser tomadas as medidas para descobrir a causa e minorar os efeitos".  

A responsável adiantou que a Delegação de Saúde, Proteção Civil, Bombeiros, Associação de Pais e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares "estão a trabalhar em conjunto para resolver o problema".  

"Estamos a tratar da situação de forma diligente. Os alunos que sentem comichão são encaminhados para o hospital mas têm regressado à escola no dia a seguir", acrescentou Julieta Lopes  

A subdiretora assegurou que as aulas vão continuar a decorrer com normalidade, enquanto se procede aos trabalhos de limpeza nos jardins e à poda das árvores, garantindo que a única alteração se prende com o acesso à escola, que está a ser feito por um portão lateral para evitar a passagem por uma zona com maior densidade arbórea.  

Hugo Fernandes, um responsável pela empresa de jardinagem que atua na escola, considerou que a inconstância das condições climatéricas é a causa provável no aparecimento dos fungos nas árvores  

"As folhas estão a cair, como é normal nesta época do ano, e com a chuva e o calor dá-se uma reação em que o fungo liberta pólen que pode provocar alergias", explicou. 

 

4. PELO "CORREIO DA MANHÃ", REPORTANDO-SE À A. LUSA

 

 

Sobe para 42 o número de alunos afetados com urticária
O surto começou a manifestar-se na terça-feira.
Por Lusa
 

Mais 19 alunos foram encaminhados esta quarta-feira para o hospital devido a um surto de urticária na Escola Secundário José Régio, em Vila do Conde, elevando para 42 o número de jovens que nos últimos dois dias apresentaram sintomas de reação alérgica.

 

O surto, que começou a manifestar-se na terça-feira, terá origem num fungo presente nas árvores, dentro e fora do recinto escolar, que já começaram a ser tratadas.

 

Julieta Lopes, subdiretora do estabelecimento, afirmou à Agência Lusa que que não há "motivos para alarmismos" e que "já estão a ser tomadas as medidas para descobrir a causa e minorar os efeitos".

 

 5. PELO "DIÁRIO DIGITAL" QUE REPRODUZ A NOTÍCIA DA  "LUSA", ACRESCENNTANDO UMA IMAGEM ILUSTRATIVA

Sobe para 42 o número de alunos afectados com urticária em Vila do Conde

Mais 19 alunos foram hoje encaminhados para o hospital devido a um surto de urticária na Escola Secundário José Régio, em Vila do Conde, elevando para 42 o número de jovens que nos últimos dois dias apresentaram sintomas de reação alérgica.

O surto, que começou a manifestar-se na terça-feira, terá origem num fungo presente nas árvores, dentro e fora do recinto escolar, que já começaram a ser tratadas.

Julieta Lopes, subdiretora do estabelecimento, afirmou à Agência Lusa que que não há "motivos para alarmismos" e que "já estão a ser tomadas as medidas para descobrir a causa e minorar os efeitos".

A responsável adiantou que a Delegação de Saúde, Proteção Civil, Bombeiros, Associação de Pais e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares "estão a trabalhar em conjunto para resolver o problema".

"Estamos a tratar da situação de forma diligente. Os alunos que sentem comichão são encaminhados para o hospital mas têm regressado à escola no dia a seguir", acrescentou Julieta Lopes

A subdirectora assegurou que as aulas vão continuar a decorrer com normalidade, enquanto se procede aos trabalhos de limpeza nos jardins e à poda das árvores, garantindo que a única alteração se prende com o acesso à escola, que está a ser feito por um portão lateral para evitar a passagem por uma zona com maior densidade arbórea.

Hugo Fernandes, um responsável pela empresa de jardinagem que atua na escola, considerou que a inconstância das condições climatéricas é a causa provável no aparecimento dos fungos nas árvores

"As folhas estão a cair, como é normal nesta época do ano, e com a chuva e o calor dá-se uma reação em que o fungo liberta pólen que pode provocar alergias", explicou.

Diário Digital com Lusa

 

 6. PELO PORTAL " VILACONDENSE"

Alunos da José Régio tiveram de receber assistência hospitalar

Durante a manhã de terça, 21 de outubro, duas dezenas de alunos da Escola Secundária José Régio, tiveram de receber assistência.

 

escola jose regio1Apesar do sobressalto causado, e do transporte dos alunos para várias unidades hospitalares, nomeadamente o Centro Hospitalar da Póvoa de Varzim / Vila do Conde, o Hospital Pedro Hispano e o Hospital de São João, tratou-se apenas de um caso de urticária.

 

Todos os alunos em causa apresentavam vermelhidão e comichão na pele, desconhecendo-se as causas desta reação, tendo como exemplo o caso da aluna Rafaela Gonçalves, de 15 anos, uma das alunas da turma do 10º ano que foi afetada no interior de uma sala de aula.

 

A sub-diretora, Julieta Lopes, assegura que a sala já foi limpa e encontra-se em condições de serem administradas as aulas normalmente.

 

Nesta operação de socorro, estiveram presentes vários meios de Vila do Conde, Póvoa de Varzim e Famalicão, num total de 19 elementos e 8 viaturas.

 

O Delegado de Saúde local acompanhou o caso de forma a perceber a origem do problema, assegurando que não existe qualquer caso preocupante.

 

 

 
 
 

 

alexandre maia t

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cunha ribeiro às 16:02