Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




RESCISÕES DE PROFESSORES, AINDA HÁ NUVENS POR DISSIPAR

por cunha ribeiro, Sexta-feira, 25.10.13

Educação: Primeira ronda negocial entre Governo e professores

Rescisões de professores sem tecto máximo

Governo garante que não vai haver limite. Indemnizações podem chegar aos 70 mil euros

 

 

O secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar, João Casanova de Almeida, garantiu ontem, após as negociações com os sindicatos, que as compensações a pagar aos professores no programa de rescisões por mútuo acordo "não terão tecto máximo".

Para os sindicatos, os valores propostos são baixos. "A compensação equivale no máximo a três anos de salários e devia equivaler pelo menos a cinco anos, que é o tempo que se fica impedido de pedir reforma", disse Mário Nogueira. Por exemplo, um docente do 6º escalão com 25 anos de serviço recebe 70 mil euros. O Governo não esclareceu se terão direito a subsídio de desemprego, se o cálculo será baseado no salário com ou sem cortes, e se poderão continuar a descontar para a Caixa Geral de Aposentações. O executivo marcou mais reuniões para quarta-feira.O programa decorre de 15 de novembro a 31 de janeiro e destina-se a docentes do quadro com menos de 60 anos. A indemnização máxima de 1,5 salários por ano de serviço é só para docentes do pré-escolar, 1º ciclo, EVT e ET com menos de 50 anos – desce para 1,25 para os que têm entre 50 e 59 anos. Para os restantes professores é de 1,25 e 1 salário, respetivamente, para menores de 50 anos e entre 50 e 59 anos.

 



Autoria e outros dados (tags, etc)

por cunha ribeiro às 09:19

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.